marcelino quebrando tudo em belém

e saiu a primeira “resenha” do cowboy e logo escrita por quem… melhor, impossível. confesso: fiquei corado.

Voltemos ao Caco, o poeta, agora romancista. Acaba de escrever seu primeiro romance, o “Eu, Cowboy”. É densamente caudaloso. Uma das coisas mais incríveis que ouvi nos últimos temporais. E ele leu só um capítulo. O nascedouro de uma obra-prima.

e logo em qual contexto, belas (e precisas) palavras sobre a mangueirosa.

Correios das selvas. Explico de novo: samaumeiras são árvores que levam notícias. Elas reverberam. Os índios batem em seu tronco e o som propaga-se. Um aviso de que só se perde quem vive “se achando”. Vai ao alto o grito em seus galhos, a alma verde, em vexame.

coisa de mestre. dia foda na companhia de Marcelino Freire e Jorge Filholini, quebrando tudo pela frente nas quebradas de belém com o Quebras. beijos, parabéns, obrigado, reverbera, voltem sempre, viva e eta danado.

Advertisements

About caco ishak

deu pau no servidor da verbeat
This entry was posted in clipping, cowboy, papo-furado. Bookmark the permalink.