Monthly Archives: July 2015

cowboy @ bh y slz

no próximo sábado, dia 1º de agosto, os trabalhos começarão com leitão à pururuca, tutu de feijão, bambá de couve e muita cachaça — ou, a bem da verdade: jim beam. se os autores sobreviverem ao almoço, estaremos (Jorge Rocha, … Continue reading

Posted in cowboy, papo-furado

“moe-dells”

Intraduzível: trocadilho entre “moe” (fazer caras e bocas, geralmente em sinal de tédio), “model” (modelo) e “dell” (um pequeno e isolado vale arborizado) de evidente conotação sexual, dada a “arborização” do “vale” entre as “montanhas de carne” nas partes baixas … Continue reading

Posted in traduções

Não sou crítico para formular teorias, mas – tem uma sacada do Ricardo Piglia da qual gosto: há sempre uma marca nos primeiros livros dos verdadeiros escritores. E esse primeiro livro de ficção tem essa marca. Gosto da(s) trama(s) e … Continue reading

Posted in clipping, cowboy

cowboy no livre opinião

Todo o processo de escrita desse livro foi um risco, segue sendo. talvez, o autor já esteja morto. Talvez, continue vivo, escondido pelas entrelinhas. Talvez, a resposta para a pergunta esteja aí: o próprio ato de escrever (por escrever) é … Continue reading

Posted in clipping, cowboy, papo-furado

“cowboy-romancista”

A poesia é uma vadia. Me faz de gato e sapato. Entra e sai da minha vida como quem sofre de prisão de ventre, seguida de uma diarreia fulminante. Não tenho o menor controle sobre meu esfíncter poético. Passo meses, … Continue reading

Posted in clipping, papo-furado