Category Archives: inéditos

amores em quarentena

honrado e feliz demais por participar dessa coletânea organizada pelo marcelo damaso, meu retorno à ficção após três longos anos hibernando. acordei ao lado de um monte de gente massa. confere lá. link pro download (na faixa) aqui. boa leitura.

Posted in dois conto, inéditos, participações

revista philos

a revista philos publicou a tradução feita por juan pablo villalobos de um dos capítulos do meu próximo romance, ainda sem nome, tradução essa publicada originalmente na coletânea nosotros.

Posted in all real, dois conto, inéditos

“nada de errado”

Escrito em junho de 2016, o trecho abaixo é o prólogo do meu próximo romance, ainda sem nome (carinhosamente apelidado a título provisório de Em nome da filha), que tem como temas principais a alienação parental, conceito proposto por Richard … Continue reading

Posted in all real, articulices caquéticas, blissett, cowboy, inéditos

ESTRAGO

uma revista editada por Paulo Scott e Fabio Zimbres, por si, já mereceria a pecha de “publicação literária mais importante da atualidade”. mas esperei pra ler a edição número um da ESTRAGO (no rabo da 000) e tirar minhas conclusões. … Continue reading

Posted in all real, blissett, inéditos, papo-furado, versos fandangos

estados em poesia – rj

perdão desde já. gravei esse vídeo a convite da mais paraense das cariocas, Maria Rezende, quem arregaçou as mangas e orquestrou com Fernando Ramos e LuNa Vitrolira um bando de malucos de norte a sul do país no espetáculo-coletânea Estados … Continue reading

Posted in inéditos, má reputação, participações

golpe: antologia-manifesto

  Camarada Don’Otoni, Já não sei mais o que fazer com nossa esquerda. A gente fala, fala, não é de hoje, mas quem quer parar de falar um pouco pra escutar? Lembra do que a Ana C. disse pra M. … Continue reading

Posted in all real, articulices caquéticas, blissett, coletâneas & agremiações, dois conto, inéditos, participações

punto rojo

achar as palavras de outro idioma pra definir o que não se sabe dizer nem mesmo em nossa língua-mãe falta colo quem coloque na cama dê de mamar forasteiro em seu próprio país a autoficção já não basta quando passa-se … Continue reading

Posted in inéditos, versos fandangos

somos nós

não conheço a Elisa Arruda pessoalmente, sei que sou fã da série Essa é você. agora, posso me gabar de ter um verso tatuado numa de suas mujeres. só tenho a agradecer. lindão. .:. e temos nova tradução em andamento. … Continue reading

Posted in inéditos, participações, releituras, versos fandangos

primeiro capítulo de “eu, cowboy” na flipobre

aos que se encontravam de ressaca carnavalesca ontem, cá está o vídeo do meu bloco no sarau da flipobre. teve um poema do paraense Gustavo Rodrigues e quadro da Drika Chagas ao fundo, teve Ricardo Pozzo dormindo na leitura em … Continue reading

Posted in cowboy, inéditos, papo-furado, participações

pra ninguém

não espera de mim bom dia quando a cama nem amarrotou (qualquer slogan genial de margarina cabe aqui) já falei tanto em versos que não sei mais conversar como uma pessoa normal enquanto trituro os dentes e roo a língua … Continue reading

Posted in inéditos, versos fandangos