má reputação (2006)

a quem interessar possa: pdf do meu primeiro livro, dos versos fandangos ou a má reputação de um estulto em polvorosa.

atenção: perigo de rimas soltas pelo caminho.

orelha:

Aqui, Leitor, um livro que alicerça uma única história, sugerindo a desistência para, traiçoeiramente, afirmar a paixão pela vida, apesar de reconhecer como verdadeiro par da existência a fatalidade. Aqui, há palavras febris programando um niilismo-barroco e, portanto, o paradoxo: trajetos na madrugada, minados de incerteza.  Não se engane com a simplicidade ou o falso-juvenil da algumas passagens. Há uma concisão propositalmente dispensada, um mergulho sem ar, quase sem luz, em busca da beleza e de um sentido que diminua o desconforto da rotina, a resignação pessoal diante do cômodo e dos mitos.  É isso, um livro que se propõe à extinção do mito da resignação. Quem conhece o Caco Ishak sabe muito bem do que estou falando. Nesse autor, uma singularidade: o abandono como ponta de sonho, como necessário em meio ao caos para que possamos lembrar que no fundo, no fundo, ainda somos humanos.

(Paulo Scott)

.:.

botafora neoconcreto

(posproposta agalope)

esta

va er

rado

não sei t

rabal

h

ar

sob

pressão

arranha o c

éu castra-vento

Advertisements

About caco ishak

deu pau no servidor da verbeat
This entry was posted in bagagem, clipping, má reputação. Bookmark the permalink.