ESTRAGO

estrago

uma revista editada por Paulo Scott e Fabio Zimbres, por si, já mereceria a pecha de “publicação literária mais importante da atualidade”. mas esperei pra ler a edição número um da ESTRAGO (no rabo da 000) e tirar minhas conclusões. aí, de cara, rolou um poema do Guilherme Pilla e: título mais do que merecido. não é da boca pra fora que ora digo, portanto, ao abrir a segunda edição e ver um poema inédito meu + entrevista concedida ao Scott + cabras de primeira grandeza quais Marcelo Montenegro, Roberta Tostes Daniel, Alex Sernambi, Amanda Prado e Lara Matos: puta honra do caralho. valeu demais, Mr. Scott, Mr. Zimbres, sempiternos mestres.

abaixo, o poema inédito. a entrevista na íntegra, aqui.

.:.

quem fumou do meu cachimbo?
quem deixou o cachimbo encharcar?

cantaram a pedra
faço tudo errado disseram
jogo as bitucas na privada vou e
gozo no cinzeiro renderizando as cinzas
da pedra que um dia fumamos em textos que jamais

escrevemos

quem fumou do meu cachimbo?
quem deixou o fumo encharcar?

Advertisements

About caco ishak

deu pau no servidor da verbeat
This entry was posted in all real, blissett, inéditos, papo-furado, versos fandangos. Bookmark the permalink.